Fifteen years of the National Health Agency (ANS): strategic axis analysis of the institutional articulation and improvement from the experts’ perspective

Fernando Filardi, Angilberto Sabino Freitas, Helio Arthur Irigaray, Luciene Capra

Abstract


This article analyzes the extent to which the National Health Agency - ANS has achieved the strategic goals established in its creation with a focus on improvement and institutional articulation. The methodology was qualitative built using the Delphi technique, we analyzed and evaluated the perception of 12 experts about relationships with stakeholders, information transparency and regulatory capacity improvement. The results show that the ANS has benefited society with greater operators control, service quality, standardization of minimum coverage and maximum price increases. However, it also revealed that ANS lacks: i) flexibility to analyze and judge complaints and fine health plans, ii) efficiency in processes, iii) balance of stakeholders’ interests and, iv) improved communication with society to achieve a more objective and transparent regulation.

Keywords


ANS; Eixos Estratégicos; Regulação do Setor de Saúde; Estratégia na Gestão Pública

References


ANS. (2004) Regulação & Saúde. v. 3. Rio de Janeiro: Documentos Técnicos de Apoio ao Fórum de Saúde Suplementar de 2003.

ANS. (2010b) Programa de Qualificação da Saúde Suplementar. Rio de Janeiro: ANS.

ANS. (2010a) Caderno de Informação de Saúde Suplementar: Beneficiários, Operadoras e Planos. (Março/2011). Rio de Janeiro: ANS.

ANS. (2014). Contrato de Gestão. Disponível em http://www.ans.gov.br/aans/transparencia-institucional. Acesso em 23 fev. 2016.

Avelar, Lúcia; Cintra, Antônio. (2004). O Sistema Político Brasileiro: Uma Introdução. 2ª Ed. São Paulo: Editora Unesp.

Bardin, Laurence. (2008). Análise de conteúdo. 4ª Edição, Lisboa: Edições 70.

BRASIL. (1995). Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília: Presidência da República.

BRASIL. (2007). Regulação em Saúde. Brasília: Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS),

Bresser-Pereira, Luís Carlos. (1996). Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, v. 47, n. 1, p. 7-40.

Boschi, Renato R. (2002). O Estado e o Setor Privado no Cenário Pós-Reformas: Novas Modalidades de Regulação. Buenos Aires. IUPERJ.

Castro, Janice D. (2002). Regulação em saúde: análise de conceitos fundamentais. Sociologias, v. 7, n. 7.

Costa, Nilson R. (2008). O regime regulatório e o mercado de planos de saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, n. 5, p. 1453-1462.

Delurgio, Stephen A. (1998). Forecasting principles and applications. Singapura: McGraw-Hill.

Filardi, Fernando. (2000). Os primeiros resultados do novo modelo de regulação do setor elétrico: a experiência da Light Serviços de Eletricidade S.A. Revista de Administração Pública, v. 34, n. 2, p. 1-10.

Goldfinch, Shaun; Wallis, Joe. (2010). Two myths of convergence in public management reform, Public Administration Review, v. 88, n. 4, p. 1099-1115.

Ibañez, Nelson; Vecina Neto, Gonzalo. (2007). Modelos de gestão e o SUS. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 12.

Lei Nº 9.656. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/ Acesso em 23 fev. 2016.

Lei Nº 9.961. Disponível em http://www.ans.gov.br/portal/site/legislacao/legislacao_. Acesso em 26 jan. 2010.

Nitão, Samara. (2004). V. Saúde Suplementar no Brasil: Um Estudo da Dinâmica Industrial Pós-Regulamentação. Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado) - Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro.

Ocké-Reis Carlos O. (2005). Uma reflexão sobre o papel da ANS em defesa do interesse público. Revista de Administração Pública, v. 39, n. 6, p. 1303-17.

Pinheiro, Ivan A.; Monteggia, Ediane G.; Aguzzoli, Roberta L. (2000). Agências Autônomas de Regulação: mudanças à vista no relacionamento Estado x setor privado x sociedade. In: ENANPAD 24, 2000, Florianópolis; Anais...Florianópolis: ANPAD.

Salvatori, Rachel T.; Ventura, Carla A. (2012). A agência nacional de saúde suplementar - ANS: onze anos de regulação dos planos de saúde. Organizações & Sociedade, v. 19, n. 62, p. 471-487.

Santos, Fausto P.; Malta, Deborah C.; Merhy, Emerson E. (2008). A regulação na saúde suplementar: uma análise dos principais resultados alcançados. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, n. 5, p. 1463-1475.

Souza, Antônio R. (2004). As Agências Reguladoras de Serviços Públicos e Campo Organizacional: Limites e Possibilidades. Rio de Janeiro.

Wright, James T.C.; Giovinazzo, Renata A. (2000). Delphi. Uma ferramenta de apoio ao planejamento prospectivo. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 12, 2º trim.

COSTA, Nilson R. (2008). O regime regulatório e o mercado de planos de saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, n. 5, p. 1453-1462.

DELURGIO, Stephen A. (1998). Forecasting principles and applications. Singapura: McGraw-Hill.

FILARDI, Fernando. (2000). Os primeiros resultados do novo modelo de regulação do setor elétrico: a experiência da Light Serviços de Eletricidade S.A. Revista de Administração Pública, v. 34, n. 2, p. 1-10.

GOLDFINCH, Shaun; WALLIS, Joe. (2010). Two myths of convergence in public management reform, Public Administration Review, v. 88, n. 4, p. 1099-1115.

IBAÑEZ, Nelson; VECINA NETO, Gonzalo. (2007). Modelos de gestão e o SUS. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 12.

LEI Nº 9.656. Disponível em

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/ Acesso em 23 fev. 2016.

LEI Nº 9.961. Disponível em http://www.ans.gov.br/portal/site/legislacao/legislacao_. Acesso em 26 jan. 2010.

NITÃO, Samara. (2004). V. Saúde Suplementar no Brasil: Um Estudo da Dinâmica Industrial Pós-Regulamentação. Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado) - Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro.

OCKÉ-REIS Carlos O. (2005). Uma reflexão sobre o papel da ANS em defesa do interesse público. Revista de Administração Pública, v. 39, n. 6, p. 1303-17.

PINHEIRO, Ivan A.; MONTEGGIA, Ediane G.; AGUZZOLI, Roberta L. (2000). Agências Autônomas de Regulação: mudanças à vista no relacionamento Estado x setor privado x sociedade. In: ENANPAD 24, 2000, Florianópolis; Anais...Florianópolis: ANPAD.

SALVATORI, Rachel T.; VENTURA, Carla A. (2012). A agência nacional de saúde suplementar - ANS: onze anos de regulação dos planos de saúde. Organizações & Sociedade, v. 19, n. 62, p. 471-487.

SANTOS, Fausto P.; MALTA, Deborah C.; MERHY, Emerson E. (2008). A regulação na saúde suplementar: uma análise dos principais resultados alcançados. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, n. 5, p. 1463-1475.

SOUZA, Antônio R. (2004). As Agências Reguladoras de Serviços Públicos e Campo Organizacional: Limites e Possibilidades. Rio de Janeiro.

WRIGHT, James T.C.; GIOVINAZZO, Renata A. (2000). Delphi. Uma ferramenta de apoio ao planejamento prospectivo. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 12, 2º trim.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional