Specifications, Sectors, Nationality and Experience: What Matters for the Success of Mergers and Acquisitions Strategy?

Valmir Emil Hoffmann, Daniel Pires Vieira, Kim La Croix Maluf de Menezes

Abstract


This study characterizes the Mergers and Acquisitions (M&As) processes that achieved better performances in internal value and synergy generation. The M&A theme is not particularly new in the strategy literature, which does not mean that it is consolidated, at least not from the point of view of these strategies results. Academic literature on the topic stablishes that the search for synergies is the key reason for these strategies, although the measurement of these synergies is not a simple task. This study evaluated 154 M&As processes using three variables related to market value creation and operational efficiencies creation. The M&A processes were classified according to the type of agglomerative process, economic sector, nationality and positioning of companies in the production chain. Statistic data were analyzed with descriptive statistics, variance analysis and cluster analysis. The results indicate that most of the cases resulted in mild negative or positive results, with no significant differences between the results of processes carried out in different sectors of the economy. The cases that achieved better results were those in which companies already had previous experience in M&A and held knowledge of the acquired enterprise, which reiterates the need for prior planning and analysis to the generation of the expected synergies and value creation.


Keywords


Mergers & Acquisitions; Strategy; Performance.

References


Alexandridis, G.; Petmezas, D.; Travlos, N.G. (2005). Gains from Mergers and Acquisitions Around the World: New Evidence. Financial Management, p. 1671.

Asquith, P.; Bruner, R. F.; Mullins Jr.; D. (1983). The Gains to Bidding Firms from Merger. Journal of Financial Economics, v.11, pp. 121-139.

Barkema, H.; Schijven, M. (2008) How do Firms Learn to Make Acquisitions? A Review of Past Research and an Agenda for the Future. Journal of Management, vol. 34, nº 3.

Berkovich, E.; Narayanan, M. P. (1993). Motives for Takeovers: An Empirical Investigation. Journal of Financial and Quantitative Analysis, v.28, n.3, pp. 347-362.

Binder, M. P.; Maccari, E. A.; Nasser-Carvalho, L. F. (2010). Competência central e lógica dominante: contribuições à análise de processos de fusão e aquisição. Revista de Ciências da Administração, v. 12, n. 28, pp. 83-104.

Bradley, M.; Desai, A.; Kim, E. H. (1988). Journal of Financial Economics, 21, p. 3-40.

Brito, G. A. S.; Batistella, F. D.; Famá, R.(2005). Fusões e aquisições no setor bancário: (...). Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 40, n. 4.

Camargos, M. A,; Barbosa, F. V. (2003). Fusões, aquisições e takeovers: um levantamento teórico dos motivos, hipóteses testáveis e evidências empíricas(...). Revista de Gestão da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 17-38.

________________________ (2004). Acordo de fusão TAM-VARIG: um estudo de caso dos fatores estratégicos, mercadológicos e financeiros e seus impactos sobre os stakeholders. Revista de Gestão da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 11, n. 4, p. 75-91.

_________________________(2005). Análise do desempenho econômico financeiro e da criação de sinergias (...) em processos de fusões e aquisições do mercado brasileiro ocorridos entre 1995 e 1999. Revista de Gestão da Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 12, n.2.

_____________________(2009). Fusões e aquisições de empresas brasileiras: criação de valor e sinergias operacionais(...). Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 49, n. 2.

Dickerson, A; Gibson, H.; Tsakalotos, E. (1997). The Impact of Acquisitions on Company Performance: Evidence from a Large Panel of UK Firms. Oxford Economic Papers, vol. 49, issue 3, p. 344-61.

Du, K.; Sim, N. (2016). Mergers, acquisitions, and bank efficiency: Cross-country evidence from emerging markets. Research in International Business and Finance, 36, p. 499–510.

Famá, R.; Barros, L. A. (2000). Q de Tobin e seu uso em finanças: aspectos metodológicos e conceituais. Cadernos de Pesquisa em Administração, v. 7, n. 4, p. 27-43.

Field, A. (2005). Discovering Statistics using SPSS. 2ª Edição, Sage Publications, London.

Figueira, C.; Nellis, J. (2009). Bank merger and acquisitions activity in the EU: much a do about nothing? The Service Industries Journal, vl. 29, N. 7, July 2009, p.875–886.

Gupta, O.; Roos, G. (2001). Mergers and acquisitions through an intellectual capital perspective. Journal of Intellectual Capital, v.2, n.3, pp.297-309.

Hair Jr., J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E. (2009). Multivariate Data Analisys. 7ª Edição, Prentice Hall.

King, D.; Dalton, D. R.; Daily, C.; Covin, J. (2004) Meta-analyses of post-aquisiton performance:indicationsof unidentified moderators. Strategic Management Journal, vol. 25.

Kitching, J. (1967). Why do mergers miscarry? Harvard Business Review, vol. 45, nº6.

Kloeckener, G. O. (1994). Fusões e aquisições: motivos e evidência empírica. Revista de Administração, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 42-58.

Lebedev, S.; Peng, M. W.; Xie, E.; Stevens, C. E. (2015). Mergers and acquisitions in and out of emerging economies. Journal of World Business, 50, p. 651–662.

Leitão, C. R.; Gali, O. C. (2014). Volatilidade em Fusões e Aquisições: um Estudo no Mercado Brasileiro. Revista Organizações em Contexto, vol. 10, n° 20.

Malhotra, N. K. (2012). Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 6ª ed. Porto Alegre: Bookman.

Milhomem, C.; Hoffmann, V. E. (2011). Geração de Eficiências Operacionais a partir da Estratégia de Fusão e Aquisição – um estudo no Brasil entre os anos 2002 e 2008. Anais do V Encontro de Estudos em Estratégia - 3ES, Porto Alegre.

Minadeo, R. (2010). Operações problemáticas de fusões e aquisições. Administração de Empresas em Revista, v. 9, p. 45-64.

Mingoti, S. A. (2005). Análise de Dados Através de Métodos de Estatística Multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Motta, L. F. J.; Oliveira, P. V. C.; Cavazotte, F. S. C. N.; Pinto, A. C. F.; Klotzle, M. C. (2013). Criação de valor em fusões e aquisições brasileiras. Revista de Administração FACES, v. 12, n. 4, p. 100-119.

Norris Jr., J.T. (2011). China Foreign Direct Investment:Greenfield, Mergers & Acquisition, Or JointVenture. International Business & Economics Research Journal. v. 10, n. 1.

Oliveira, T. B. P.; Oliveira, M. R. G. (2015). Abordagem Estocástica na Avaliação Econômico-Financeira do Processo de Fusões & Aquisições – F&A: Estudo de Caso da Totvs S/A. Contextus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 13, n. 3, p. 32-56.

Orsi, A. (2006). Gestão do conhecimento em fusões e aquisições: fatores críticos. Revista brasileira de Gestão de Negócios, São Paulo, v. 8, n. 22, p. 46-56.

Pardini, D. J.; Santos, R. V.; Machado, D. C.; Azevedo, A. C. (2014) Organizational learning: a functional trajectory perspective in related acquisitions. Revista Gestão & Planejamento, v. 15, n. 2, p. 341-355.

Pasin, R. M.; Matias, A. B. (2001). A geração de sinergias e seus impactos na rentabilidade das empresas no caso de fusões e aquisições. Revista de Administração, São Paulo, v.36, n. 1,.

Patrocínio, M. R.; Kayo, E. K.; Kimura, H. (2005). Intangibilidade e criação de valor nos eventos de fusão e aquisição: uma análise dos retornos anormais no período de 1994 a 2004. In: Anais do Encontro Nacional de Pós-graduação em Administração, 29, Brasília.

Pessanha, G. R. G.; Santos, T. A. D.; Calegario, C. L. L.; Sáfadi, T.; Alcântara, J. N. (2014). Influências das Fusões e Aquisições no valor de mercado das instituições bancárias adquirentes. Contabilidade, Gestão e Governança, v. 17, n. 3, p. 145-158.

Ravenscraft, D. J.; Scherer, F. M. (1987). Life after take over. Journal of Economic Perspectives, [S.I.] v. 36, n. 2, p. 147-156.

Rao-Nicholson, R.; Salaber, J.; Cao, T. H. (2016). Long-term performance of mergers and acquisitions in ASEAN countries. Research in International Business and Finance, vol. 36.

Reis, N. R.; Carvalho, F.; Ferreira, J. V. (2015). Um panorama de três décadas de pesquisas de Fusões e Aquisições. Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE. Vol. 14, N. 2.

Romano, P. R.; Almeida, V. S. (2015). Análise dos Efeitos em Mercado de Capitais Decorrentes de Fusões: O Caso BRFS.A. Revista de Administração Contemporânea, v. 19, n. 5, p. 606-625.

Ross, S. A.; Westerfield, R.; Jaffe, J. F. (1995). Administração Financeira: Corporate Finance. São Paulo: Atlas.

Sarfati, G.; Shwartzbaum, A. (2013). Sinergias nas fusões e aquisições do setor de educação superior no Brasil. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 7, n. 4, p. 1-23.

Sehnem, S.; Fischer, A.; Turolla, F.; Duarte, T. A. (2015). Desempenho Econômico-Financeiro de um Frigorífico. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 8, n. 2, p. 266-293.

Sharma, M. (2010). Determining value creation through mergers and acquisitions in the banking industry using accounting study and event study methodology. European Journal of Economics, Finance and Administrative Sciences, 19, p. 61–73.

Shukla, A.; Gekara, M. G. (2010). Effects of Multinational Mergers and Acquisitions on Shareholders’ Wealthand Corporate Performance. The IUP Journal of Accounting Research & Audit Practices, Vol. IX, N. 1 & 2.

Soares, W. B.; Wegner, D.; Dolci, P. C. (2016). Fusão como Estratégia de Crescimento de Redes de Cooperação Empresarial: um estudo de caso em uma rede de farmácias. Revista Ibero-Americana de Estratégia – RIAE, Vol. 15, N. 1.

Suen, A. S.; Kimura, H. (1997). Fusão e aquisição como estratégia de entrada (enter mode) no mercado brasileiro. Revista de Gestão da USP, v. 2, n. 5, p. 53-60.

Tanure, B.; Cançado, V. L. (2005). Fusões e aquisições: (...) aprendendo com a experiência brasileira. Revista de Administração de Empresas, Rio de Janeiro, v. 45, n. 2, p. 10-22.

Vermuelen, F.; Barkema, H. (2001). Learning through Acquisitions. Academy of Management Journal. Vol. 44, º 3, pp. 457-476.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional