Leadership B.S. – Jefrey Pfeffer e a Indústria da Liderança

Leonardo Vils, Gustavo Viegas Rodrigues

Abstract


“Desenvolver a capacidade de liderança” é uma constante na vida de profissionais interessados em atuar de forma mais assertiva nas organizações nas quais exercem suas atividades. Leadership BS é mais uma conquista de Jeffrey Pfeffer que nos obriga a repensar esses dogmas que a indústria da liderança, como assim a denomina o autor, nos empurram diariamente. Em um trabalho baseado na necessidade urgente de incorporar evidências a uma prática que pode causar prejuízos financeiros e diversos outros malefícios à sociedade, Pfeffer consegue demonstrar facilmente porque, por exemplo, alguns comportamentos tido como exemplares não passam de fábulas, que só existem em salas de aula e cursos de eficácia duvidosa – se, por eficácia, entender-se formar líderes melhores. O autor desafia seus leitores a repensarem a forma como atuam, entendendo que processos psicológicos como o viés de confirmação e o autoengano descaracterizam o formato desejado de liderança, aquele ensinado, mas não praticado.

“Desenvolver a capacidade de liderança” é uma constante na vida de profissionais interessados em atuar de forma mais assertiva nas organizações nas quais exercem suas atividades. Leadership BS é mais uma conquista de Jeffrey Pfeffer que nos obriga a repensar esses dogmas que a indústria da liderança, como assim a denomina o autor, nos empurram diariamente. Em um trabalho baseado na necessidade urgente de incorporar evidências a uma prática que pode causar prejuízos financeiros e diversos outros malefícios à sociedade, Pfeffer consegue demonstrar facilmente porque, por exemplo, alguns comportamentos tido como exemplares não passam de fábulas, que só existem em salas de aula e cursos de eficácia duvidosa – se, por eficácia, entender-se formar líderes melhores. O autor desafia seus leitores a repensarem a forma como atuam, entendendo que processos psicológicos como o viés de confirmação e o autoengano descaracterizam o formato desejado de liderança, aquele ensinado, mas não praticado.


Keywords


liderança, gestão baseada em evidências, líder

References


Akerlof, G. A., & Shiller, R. J. (2015). Phishing for Phools: The Economics of Manipulation and Deception. Princeton University Press.

Ariely, D., Bracha, A., & Meier, S. (2009). Doing Good or Doing Well? Image Motivation and Monetary Incentives in Behaving Prosocially. The American Economic Review, 99(1), 544–555.

Auto Esporte - Volkswagen admite que 11 milhões de carros têm software que frauda testes. ([s.d.]). Recuperado 3 de abril de 2016, de http://g1.globo.com/carros/noticia/2015/09/volkswagen-admite-que-11-milhoes-de-carros-tem-software-que-frauda-testes.html

Axelrod, R. (2009). The Evolution of Cooperation: Revised Edition. Basic Books.

Bateson, M., Nettle, D., & Roberts, G. (2006). Cues of being watched enhance cooperation in a real-world setting. Biology Letters, 2(3), 412–414. http://doi.org/10.1098/rsbl.2006.0509

Collins, J. (2011). Good to Great: Why Some Companies Make the Leap...And Others Don’t. Harper Collins.

Forgas, J. P., Fiedler, K., & Sedikides, C. (2012). Social Thinking and Interpersonal Behavior. Psychology Press.

Frank, R. H. (2012). The Darwin Economy: Liberty, Competition, and the Common Good. Princeton University Press.

Kahneman, D. (2012). Rápido e devagar: Duas formas de pensar. Editora Objetiva.

Mazar, N., Amir, O., & Ariely, D. (2008). The Dishonesty of Honest People: A Theory of Self-Concept Maintenance. Journal of Marketing Research, 45(6), 633–644. http://doi.org/10.1509/jmkr.45.6.633

Moskowitz, G. B. (2013). Social Cognition: Understanding Self and Others. Guilford Publications.

Pfeffer, J. (2015). Leadership BS: Fixing Workplaces and Careers One Truth at a Time. HarperCollins.

Pfeffer, J., & Sutton, R. I. (2013). Hard Facts, Dangerous Half-Truths, and Total Nonsense: Profiting from Evidence-based Management. Harvard Business Press.

Porter, M. (2004). Estrategia Competitiva. Elsevier Brasil.

Rosenzweig, P. (2014). The Halo Effect: . . . and the Eight Other Business Delusions That Deceive Managers. Simon and Schuster.

Squire, L. R., & Kandel, E. R. (2009). Memory: From Mind to Molecules. Roberts & Company.

The Constructive, Destructive, and Reconstructive Power of Social Norms. ([s.d.]). Recuperado 31 de março de 2016, de http://pss.sagepub.com/content/18/5/429.short

Trivers, R. (2000). The Elements of a Scientific Theory of Self-Deception. Annals of the New York Academy of Sciences, 907(1), 114–131. http://doi.org/10.1111/j.1749-6632.2000.tb06619.x

Trivers, R. (2010). Deceit and Self-Deception. In P. M. Kappeler & J. Silk (Orgs.), Mind the Gap (p. 373–393). Springer Berlin Heidelberg. Recuperado de http://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-642-02725-3_18

von Hippel, W., & Trivers, R. (2011). The evolution and psychology of self-deception. Behavioral and Brain Sciences, 34(01), 1–16. http://doi.org/10.1017/S0140525X10001354


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional