Financeirização da Estratégia: Um Esforço para Mapeamento de seu Desenvolvimento Via Análise Bibliométrica

Jonas Lucio Maia, Luiz Carlos Di Serio

Abstract


Com o desenvolvimento de uma concepção financeira da empresa, o conceito de Geração de Valor ao Acionista tem se desenvolvido e consolidado. Tal conceito apregoa que o propósito principal da empresa é maximizar a riqueza do acionista - e seus desdobramentos, levam a um processo de Financeirização da Estratégia, no qual as estratégias empresariais se veem impactadas por dita racionalidade financeira. Assim, o objetivo deste trabalho é realizar pesquisa bibliométrica para explorar o campo de pesquisa da Financeirização da Estratégia, e com isto elaborar um panorama geral inicial da produção científica na área, para subsidiar futuras pesquisas no campo. Os resultados indicam que (1) existe uma quantidade relevante de produção científica sobre o tema que não vem sendo publicada sob o rótulo de financeirização; (2) embora o processo de financeirização tenha suas raízes em teoria econômica anterior, o estudo da Financeirização da Estratégia é relativamente recente; (3) a questão da Geração de Valor ao Acionista parece ser o tema central nas pesquisas relacionadas à Financeirização da Estratégia; (4) a pesquisa na área parece ser bastante dispersa, pois não se identifica um autor, ou conjunto de autores, que seja extremamente expressivo na área e (5) os principais canais de publicação destas pesquisas também são dispersos, e além de periódicos voltados a finanças e à estratégia, tal pesquisa também é veiculada em jornais de marketing


Keywords


Financeirização da Estratégia, Geração de Valor ao Acionista, Gestão Baseada em Valor, Pesquisa Bibliométrica.

References


Andersson, T., Haslam, C., Lee, E., & Tsitsianis, N. (2008) Financialization directing strategy. Accounting Forum, 32, pp. 261-275.

Andersson, T., Haslam, C., Lee, E., Katechos, G., & Tsitsianis, N. (2010) Corporate strategy financialized: Conjuncture, arbitrage and earnings. Accounting Forum, 34, pp. 211-221.

Bailey, K. (1994). Methods of Social Research. Free Press, 1994.

Borgatti, S.P., Everett, M.G., & Freeman, L.C. (1999) UCINET 6.0 Version 1.00, Analytic Technologies, Natick.

Brown, J. R., Fazzari, S.M., & Petersen, B. C. (2009) Financing innovation and growth: Cash flow, external equity, and the 1990s R&D boom. The Journal of Finance, 64(1), pp. 151-185.

Bryman, A.(1989) Research methods and organization studies. London: Unwin Hyman.

Chu, D., & Andreassi, T. (2011) Management of technological innovation: Case studies in biotechnology companies in Brazil. Management Research: The Journal of the Iberoamerican Academy of Management, 9(1), pp. 7-31.

Corsatto, C. A., (2010) Gestão da Inovação no Processo de Desenvolvimento de Software: o caso das empresas do APL de Tecnologia da Informação de Goiania-GO. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de São Carlos.

Crossan, M. M., &Apaydin, M. (2010) A multi‐dimensional framework of organizational innovation: A systematic review of the literature. Journal of Management Studies, 47(6), pp. 1154-1191.

Dias, A. V. C, & Zilbovicius, M.(2006) A produção face à financeirização: quais consequências para a organização da produção e do trabalho? Uma proposta de agenda de pesquisa para a Engenharia de Produção brasileira. XXVI ENEGEP – Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Anais do XXVI ENEGEP, Fortaleza.

Dervitsiotis, K. N. (2010) A framework for the assessment of an organisation's innovation excellence. Total Quality Management, 21(9), pp. 903-918.

Dubé, L., &Paré, G. Rigor in information systems positivist case research: current practices, trends, and recommendations. MIS Quarterly, 27(4), pp.597-635.

Ehrbar, A. (1999) Eva Valor Econômico Agregado: a verdadeira chave para a criação de riqueza. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Eisenhardt, K. M. (1989) Building theories from case study research. Academy of Management, 14(4), pp.532-550.

Fligstein, N. (2002) The architecture of markets: An economic sociology of twenty-first-century capitalist societies. Princeton: Princeton University Press.

Froud. J, Johal, S., Leaver, A., &Williams, K. (2006) Financialization and Strategy: Narrative and Numbers. Routledge.

Gay, L. R., Diehl, P. L. (1992) Research Methods for business and Management. Maxwell Macmillan, Estados Unidos.

Gil, A. C. (!999) Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. Quinta Edição, Ed. Atlas.

Guedes, V. L. S., &Borschiver, S. (2005) Bibliometria: Uma Ferramenta Estatística Para a Gestão da Informação e do Conhecimento, em Sistemas de Informação, de Comunicação e de Avaliação Científica e Tecnológica. Anais do VI CINFORM Encontro Nacional da Ciência da Informação. Salvador.

Hall, B. H. (2005) The financing of innovation. The Handbook of Technology and Innovation Management, pp. 409-430.

Hall, B. H., Lerner, J. (2009) The financing of R&D and innovation. National Bureau of Economic Research.

Hansen, M. T., &Birkinshaw, J. (2007) The innovation value chain. Harvard business review, 85(6), p. 121.

Hayes, R. H., &Wheelwright, S. C. (1984) Restoring our competitive edge: competing through manufacturing. New York: Wiley.

Jacobson, R. (1992) The “Austrian” school of strategy. Academy of management review, 17(4), p. 782-807.

Jarzabkowski, P., Balogun, J., &Seidl, D. (2007) Strategizing: The challenges of a practice perspective. Human Relations, 60(1), pp. 5-27.

Johnson, G., Langley, A., Melin, L, &Whittington, R. (2007) Strategy as Practice: Research directions and resources. Reino Unido: Cambridge University Press.

Johnson, G., Melin, L., &Whittington, R. (2003) Micro Strategy and Strategizing: Towards an activity-based view. Journal of Management Studies, 40 (1), pp. 3-22.

Kline, S. J., &Rosenberg, N. (1986) An overview of innovation. The positive sum strategy: Harnessing technology for economic growth, 14, p. 640.

Koller, T., Goedhart, M., &Wessels, D. (2010) Valuation: measuring and managing the value of companies. 5th Edition, Wiley.

Lazonick, W., &O'Sullivan, M.. (2000) Maximizing shareholder value: a new ideology for corporate governance. Economy and society, 29(1), pp. 13-35.

Lazzarini, S. G. (1997) Estudos de caso: aplicações e limites do método. In: FARINA, E. Estudos de caso em agribusiness. São Paulo: Pioneira.

Lima, R. C. M. (1986) Estudo Bibliométrico: Análise de Citações No Periódico “Scientometrics”.Ciência da Informação, Brasília, 13, pp.57-88.

Maia, J. L. (2010) Gestão Competitiva em Empresas Brasileiras: a prática da estratégia por meio de suas visões, ferramentas e atores do processo. Tese de Doutorado (Engenharia de Produção). Universidade Federal de São Carlos.

Maia, J.L. , &Di Serio, L. C. (2014) Financialization and Business Strategy: the need for bridging efforts In: POMS 25th Annual Conference, Estados Unidos..

Martin, J. D., &Petty, J. W. (2001) Value Based Management: The Corporate Response to the Shareholder Revolution, Oxford University Press.

Marx, R., &Soares, J. P. R. F. (2008) A influência da orientação à geração de valor ao acionista nas práticas de gestão de pessoas no ambiente de produção. Gestão e Produção. 15(2), pp. 215-230.

Mugnani, R.(2006) Caminhos para adequação da avaliação da produção científica brasileira: impacto nacional versus internacional [tese]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo.

Neely, A. (2005) The Evolution of Performance Measurement Research. International Journal of Operations & Production Management. 25(12), pp. 1264-1277.

OECD. (2005) The Measurement of Scientific and Technological Activities Oslo Manual: Guidelines for Collecting and Interpreting Innovation Data. OECD publishing.

Oke, A. (2007) Innovation types and innovation management practices in service companies. International Journal of Operations & Production Management, 27(6), pp. 564-587.

Pavitt, K. (2006) Innovation Process. In: FAGERBERG, J., MOWERY, D. C., NELSON, R. R. The Oxford Handbook of Innovation. Oxford Handbooks of Business and Management.

Pritchard, A. (1969) Statistical bibliorgrahy or bibliometricas? Journal of Documentation, 25(4), pp. 348-349.

Ravelli, A.P.X. , Fernandes, G. C. M., Barbosa, S. F. F., Simão, E., &Meirelles, B. H. S. (2009) A produção do conhecimento em enfermagem e envelhecimento: estudo bibliométrico. Texto Contexto Enferm., 18(3), pp. 506- 512.

Richardson, R.J. (1985) Pesquisa Social: método e técnicas. São Paulo, Atlas.

Roesch, S. M. A. (1999) Projetos de Estágio e Pesquisa em Administração. Editora Atlas.

Savignac, F. (2006) The impact of financial constraints on innovation: evidence from French manufacturing firms. Research Report.

Schildt, H.A. (2002) Software for Bibliometric Data Management and Analysis. Helsinki Institute of Strategy and International Business.

Schumpeter, J. A. (1955) The Theory of Economic Development: An Inquiry into Profits, Capital, Credit, Interest, and the Business Cycle (Social Science Classics Series).

Sheu, D. D., &Lee, H. (2011) A proposed process for systematic innovation. International Journal of Production Research, 49(3), pp. 847-868.

Smit, H. T. J., &Trigeorgis, L. (2004) Strategic Investment: Real Options and Games. Princeton University Press.

Stockhammer, E. (2012) Financialization. In: Toporowski, J., Michell, J. Handbook of Critical Issues in Finance, Edward Elgar Publishing.

Tidd, J., &Bessant, J. (2011) Managing innovation: integrating technological, market and organizational change. Wiley.

Vanti, N. (2002) Da Bibliometria à Webometria: uma Exploração Conceitual dos Mecanismos Utilizados para Medir o Registro da Informação e a Difusão do Conhecimento. Ciência da Informação. 31(2), pp. 152-162.

Vasconcellos, L. H. R., Zilbovicius, M. Di Serio, L. C., &Marx. R. (2007) O consórcio modular sob a ótica do processo de financeirização? Seria este formato organizacional uma das respostas da indústria automotiva? XIV SIMPEP – Simpósio de Engenharia de Produção. Anais do XIV SIMPEP.

Voese, S. B., Mello, R. J. G. (2013) Análise bibliométrica sobre gestão estratégica de custos no congresso brasileiro de custos: aplicação da lei de lotka. Revista Capital Científico – Eletrônica (RCCe), 11(1).

Whittington, R. (2002) O que é Estratégia? Tradução de Maria Lúcia Rosa e Martha Malvezzi Leal. São Paulo, Pioneira.

Whittington, R. (2004) Estratégia após o modernismo: Recuperando a prática. RAE – Revista de Administração de Empresas, 44(4), pp. 44-53.

Whittington, R. (2006) Completing the practice turn in strategy research. Organization Studies, 27(5), pp. 613-634.

Wong, S., Chin, K. (2007) Organizational innovation management: An organization-wide perspective. Industrial Management & Data Systems, 107(9), pp. 1290-1315.

Yin, R. (2002) Case study research: Design and methods. SAGE Publications.

Young, S. D. , O´Byrne, S. F. (2001) EVA and value-based management. New York: McGraw-Hill.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional