Strategic Behavior: Case Study of an Organization from the Brazilian Ethanol Industry

Alex Fernando Borges, Sidney Pimenta Alvim Júnior, Daniel Leite Mesquita, Alessandro Gomes Enoque

Abstract


The purpose of this paper is to understand the strategic behavior of an organization from the Brazilian ethanol industry. Specifically, this paper aimed to describe how the organization’s entrance in the Brazilian ethanol industry occurred, and to identify the organization’s positioning and strategic behavior through the application of Miles and Snow (1978) typology. Using a qualitative research design, a case study was conducted, based on documental research and semistructured interviews with three directors from the studied organization. We also utilized a structured questionnaire elaborated by Conant et al. (1990) and adapted by Gardelin (2010), aiming to categorize the strategies adopted by the organization. The results showed that the organization has a hybrid behavior pattern, varying from investigative to analytical, characterizing its strategic behavior through a dual strategy: on one hand, the organization investigates the environment and its competitive industry, introducing an innovative perspective in its external and internal operations; and on the other hand, the organization analyzes these internal and external contexts seeking a more effective positioning in national and international markets. Thus, Miles and Snow typology presents itself as an important research tool for the analysis and adoption of certain strategic positioning and decision making, establishing itself as a frame of reference for studies that seek to understand the strategic organizational reality.

Keywords


Strategy; Strategic Management; Positioning; Miles and Snow; Ethanol.

References


Almeida, I. C., Antonialli, L. M., & Gomes, A. F. (2011). Comportamento estratégico de mulheres empresárias: estudo baseado na tipologia de Miles e Snow. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 10(1), 102-127. doi: 10.5585/riae.v10i1.1706

Augusto, C. A., Takahashi, L. Y., & Sachuk, M. Y. (2012). A influência da inovação tecnológica na competitividade e nas relações de trabalho em usinas de açúcar e álcool paranaenses. Organizações Rurais & Agroindustriais, 14(1), 1-14.

Barbosa, M. F. N., & Cândido, G. A. (2013). Competitividade em organizações agroindustriais: aplicação metodológica em empresa do setor sucroalcooleiro no estado da Paraíba. Gestão & Regionalidade, 29(86), 61-76.

Bardin, L. (2004). Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70.

Bertero, C. O., Vasconcelos, F. C., & Binder, M. P. (2003). Estratégia Empresarial: a produção científica brasileira entre 1991 e 2002. Revista de Administração de Empresas, 43(4), 48-62.

Borges, A. F., Freitas Junior, D. B., & Oliveira, E. R. (2008). Estratégia e Administração Pública: o caso do Programa "Choque de Gestão" do Governo do Estado de Minas Gerais. Revista Pretexto, 9(3), 79-106.

Bulgacov, S. et al. (2007). Administração estratégica: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2007.

Butzke, M. A., Lang, J., Marinho, S. V., Alberton, A. (2012, setembro). A Percepção do Ambiente Organizacional e Comportamento Estratégico de Gestores de IES. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 36.

Colla, J. E., Martins, T. S., & Kato, H. T. (2012, setembro). A Produção Científica em Estratégia entre os anos 2000 e 2010. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 36.

Conant, J. S., Mokwa, M. P., & Varadarajan, P. R. (1990). Strategic types, distinctive marketing competencies and organizational performance: a multiple measures-based study. Strategic Management Journal, 11(5), 365-383. doi: 10.1002/smj.4250110504

Fagundes, F. M., & Gimenez, F. A. P. (2009). Ambiente, estratégia e desempenho em micro e pequenas empresas. Revista Brasileira de Estratégia, 2(2), 133-146.

Feltre, C., & Paulillo, L. F. O. (2013). A pluralidade nas transações de cana-de-açúcar no oeste paulista. Revista de Administração Contemporânea, 17(6), 661-678.

Furrer, O., Thomas, H., & Goussevkaia, A. (2008). The structure and evolution of the strategic management field: a content analysis of 26 years of strategic management research. International Journal of Management Reviews, 10(1), 1-23. doi: 10.1111/j.1468-2370.2007.00217.x

Gardelin, J. P. (2010). O comportamento estratégico e a percepção de incerteza e munificiência de micro e pequenas empresas. (Dissertação de Mestrado). Universidade do Vale do Itajaí, Biguaçú, SC, Brasil.

Giglio, E. M., & Onusic, L. M. (2013). Revalorização do modelo de Miles: lições das teorias de redes para decisões estratégicas. Revista Eletrônica de Administração, 19(1), 192-218.

Gimenez, F. A. P. (1998). Escolhas estratégicas e estilo cognitivo: um estudo com pequenas empresas. Revista de Administração Contemporânea, 2(1), 27-45. doi: 10.1590/S1415-65551998000100003

Gimenez, F. A. P., Pelisson, C., Krüger, E. G. S., & Hayashi Jr, P. (1999). Estratégia em pequenas empresas: uma aplicação do modelo de Miles e Snow. Revista de Administração Contemporânea, 3(2), 53-74. doi: 10.1590/S1415-65551999000200004

Godoy, A. S. (2013). Fundamentos da Pesquisa Qualitativa. In TAKAHASHI, A. R. W. (Org.). Pesquisa Qualitativa em Administração: fundamentos, métodos e uso no Brasil (Vol. 1, cap. 3, pp. 35-50). São Paulo: Atlas.

Hoffmann, R. A., Hoffmann, V. E., & Cancellier, E. L. P. L. (2009). As estratégias da microempresa varejista e seus estágios de informatização. Revista de Administração Mackenzie, 10(2), 110-134. doi: 10.1590/S1678-69712009000200006

Martins, T. S., Cruz, J. A. W., Kato, H. T., Reis, J. A., & El-kouba, A. (2008). A influência da tipologia estratégica de Miles e Snow no grau de orientação para o mercado em instituições de Ensino Fundamental e Médio do Estado do Paraná. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 7(2), 125-137.

Matias, C. A., Souza, G., Figueiredo, P. (2013). Co-evolution of institutional frameworks and technological capability building across different industrial regimes: the ethanol industry in Brazil. Journal for Global Business and Communitiy, 4(1), 65-80.

Mesquita, D. L., & Oliveira, E. R. de. (2008). As reformas liberais da década de 90: as políticas da “Terceira Via” e o novo ambiente institucional no setor sucroalcooleiro brasileiro. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 32.

Mesquita, D. L., & Sugano, J. Y. (2011). The flex fuel technology building process in Brazil: An analysis from the perspective of business platform. African Journal of Business Management, 5(20), 8100-8109. doi: 10.5897/AJBM11.006

Miles, R. E., & Snow, C. C. (1978). Organizational Strategy, Structure, and Process. New York: McGrall-Hill.

Mintzberg, H., Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2000). Safári de estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman.

Mintzberg, H., Lampel, J., Quinn, J., & Ghoshal, S. (2006). O Processo da Estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. 4 ed. Porto Alegre: Bookman.

Nag, R., Hambrick, D. C., & Chen, M. J. (2007). What is strategic management, really? Inductive derivation of a consensus definition of the field. Strategic Management Journal, 28(9), 935-955. doi: 10.1002/smj.615

Oliveira, S. R., & Piccinini, V. C. (2009). Validade e reflexividade na pesquisa qualitativa. Cadernos EBAPE.BR, 7(1), 88-98. doi: 10.1590/S1679-39512009000100007

Paiva Júnior, F. G., Leão, A. L. M. S., & Mello, S. C. B. (2011). Validade e Confiabilidade na Pesquisa Qualitativa em Administração. Revista de Ciências da Administração, 13(31), 190-209.

Piacente, E. A. (2006). Perspectivas do Brasil no mercado internacional de etanol. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Ribeiro, R., Rossetto, C. R., & Verdinelli, M. A. (2011). Comportamento estratégico da empresa e a visão baseada em recursos: um estudo no setor varejista de material de construção. Gestão & Produção, 18(1), 175-192. doi: 10.1590/S0104-530X2011000100013

Ronda-Pupo, G., & Guerras-Martin, L. (2012). Strategic Management Journal, 33(2), 162-188. doi: 10.1002/smj.948

Shikida, P. F. A., Azevedo, P. F. de, & Vian, C. E. de F. (2011). Desafios da agroindústria canavieira no Brasil pós-desregulamentação: uma análise das capacidades tecnológicas. Revista de Economia e Sociologia Rural, 49(3), 599-628. doi: 10.1590/S0103-20032011000300004

Siqueira, P. H. de L., & Castro Junior, L. G. de. (2010). Fusões e aquisições das unidades produtivas e da agroindústria de cana-de-açúcar no Brasil e nas distribuidoras de álcool hidratado etílico. Revista de Economia e Sociologia Rural, 48(4), 709-735. doi: 10.1590/S0103-20032010000400009

Soares, M. C., Ramos, H. R., Etchebarne, M. S., & Geldres, V. (2011). Estrutura organizacional e internacionalização de empresas: um estudo de caso no Setor Sucroenergético do Brasil. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 10(3), 49-65. doi: 10.5585/riae.v10i3.1780

Soares, M. L., Teixeira, O. R. P., & Pelissari, A. S. (2011). Comportamento Organizacional: uma Aplicação da Tipologia de Miles e Snow no Setor Hoteleiro de Florianópolis-Sc. Revista de Administração da UFSM, 4(2), 251-267.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

União Da Indústria De Cana-De-Açúcar (2012). Cana-de-açúcar no Brasil. Recuperado em Acesso em 10 de outubro de 2012.

Vieira, V., Machado, R. K., Brey, N. K., & Rossetto, C. R. (2012). Evidências das pesquisas que abordam a tipologia de Miles e Snow no Brasil. Revista Ibero-Americana de Estratégia, 11(2), 70-90. doi: 10.5585/riae.v11i2.1753

Whittington, R. (2006). O que é estratégia. São Paulo: Thomson Learning.

Yin, R. K. (2005). Estudo de Caso: planejamento e métodos. 3a ed. Porto Alegre: Bookman.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional