The Power of Innovation of Implementation Strategies for Sustainability in the Brazilian Mineral Sector

Luciana Aparecida Barbieri da Rosa, Clandia Maffini Gomes, Jordana Marques Kneipp, Roberto Schoproni Bichueti

Abstract


The study analyzed the relationship of the power of innovation of strategy implementation to the sustainability of mining companies. The study was conducted through a survey with companies related to the Brazilian Mining Institute (IBRAM) and used the technique of multiple correspondence analysis (HOMALS). We found that companies that exhibit characteristics of innovation and environmental activities have an offensive strategic posture in relation to sustainability, investing in environmental aspects, and in the integration of technology in their products and processes.

Keywords


Strategy; Innovation; Sustainability; Mining Industry

References


Barbieri., J. C (2007). Gestão Ambiental Empresarial: conceitos, modelos instrumentos. 2 ed. São Paulo: Saraiva.

Barbieri, J. C.; & Álvares, A. C. T. (2003).Inovações nas organizações empresariais. In: Barbieri, J. C. (Org.). Organizações inovadoras: estudos e casos brasileiros. Rio de Janeiro: Editora FGV. v. 1, 1º ed.,158 p.

Barbieri, J.; Vasconcelos, I.; Andreassi, T.; & Vasconcelos, F. (2010). Inovação e Sustentabilidade: Novos Modelos e Proposições. RAE, São Paulo.

Barbieri,J. (2011). Inovação gerando sustentabilidade e oportunidades na cadeia de suprimento do setor de cosméticos no Brasil: um estudo de caso. In: ALTEC, 14,2011, Lima-Peru. Anais. Peru: ALTEC.

Beuren, I. M. (2003). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade. São Paulo: Atlas.

Botelho, M. dos R. A., Carrijo, M. DE C., & Kamasaki, G. Y. (2007). Inovações, pequenas empresas e interações com instituições de ensino/pesquisa em arranjos produtivos locais de setores de tecnologia avançada. Revista Brasileira de Inovação, v. 06,n.2,p 331- 371, jul / dez.

Brito,E.Z.; & Lombardi, M.S. (2007). Desenvolvimento sustentável como fator de competitividade. In: ENANPAD, 31,2007, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD.

Costa, A. C.V. DA; Santos,C. DE F.S.O; & Oliveira, V. M. DE. (2011). Indicadores de Ecoinovação e Competitividade Sistêmica: Construindo Relações. In: ENANPAD, 35,Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD.

Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM. (2012). Economia Mineral. Disponível em: http://www.dnpm.gov.br/conteudo.asp?IDSecao=68 . Acesso em:26/03/2012.

Elkington, J. (2004). Enter the Triple Bottom Line. in Adrian Henriques and Julie Richardson (ed) The Triple Bottom Line: does it all add up. EarthScan: London UK.

Floriani, R.; Beuren, I. M.; & Hein, N. (2010). Análise comparativa da evidenciação de aspectos de inovações em empresas construtoras e multisetoriais. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação, v. 7, n. 3, p. 691-710.

Freeman, C. (1974). Economics of Industrial Innovation, Penguin: Middlesex.

Grün, Mauro. (2006). Ética e educação ambiental – A conexão necessária. 10 edição. Campinas, SP: Papirus.

Hair Jr., J. F.; Anderson, R. E.; Tatham, R. L.; & Black, W. C. (2005). Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman.

Instituto Brasileiro de Mineração – IBRAM. (2010). Relação de Associados. Disponível em: . Acesso em 05 de novembro de 2011.

Kneipp, J.M. (2012). Gestão para a sustentabilidade e desempenho em empresas do setor mineral. 2012. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós- Graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM, Santa Maria.

Leal, C.E. (2009). A era das organizações sustentáveis. Revista Eletrônica Novo Enfoque, Rio de Janeiro, v. 8, n. 8. Disponível em: . Acesso em: 09 /01 /2012.

Maçaneiro, M. B.; & Cunha, S. K. (2010). Eco-Inovação: um quadro de referências para pesquisas futuras. In:Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 26, 2010, Vitória.Anais. Brasilia: ANPAD.

Magalhães, M. F. (2007).Inovando para durar. Inovação Quebrando Paradigmas para Vencer. São Paulo: Saraiva.

Miles, R. E., & Snow, C. C. (1978). Organizational strategy, structure and process. New York: Mc Graw Hill.

OCDE. (2005). Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3ª ed. FINEP: Rio de Janeiro.

Orsato, R. (2002). Posicionamento Ambiental Estratégico: Identificando quando vale a pena investir no verde. REAd, n. 30, vol. 6, set / dez.: 11-46.

Pestana, M. H.; & Gageiro, J. N. (2003). Análise de dados para ciências sociais: a complementaridade do SPSS, 3 ed. Edições Silabo: Lisboa.

Porter, M. E.; & Van Der Linde, C. (1995). Toward a new conception of the environment-competitiviness relationship? In: Stavins, R. (Ed.). Economics of the environment: secelted readings. New York: W. W. Norton & Company.

Porter, M. (1986). Estratégia Competitiva: Técnicas para a Análise de Indústrias e da Concorrência. Campus: Rio de Janeiro.

Runbach, C. V. (2007). Fomentando a inovação radical em uma organização focada em resultados. In: Terra, J. C. C (Org.). Inovação quebrando paradigmas para vencer.. São Paulo: Saraiva.

Seiffert, M.E.B. (2007). Gestão ambiental: instrumentos, esferas de ação e educação ambiental. São Paulo: Atlas.

Senge, P. (1990). The fifth discipline: the art and practice of the learning organization. Nova York: Doubleday.

Tachizawa, T , & Andrade, R. (2008). Gestão Socioambiental: estratégias na nova era da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Elsevier.

Van Bommel, H.W.M. (2011). A conceptual framework for analyzing sustainability strategies in industrial supply networks from an innovation perspective. Journal of Cleaner Production, v. 19, p. 895-904.

Vieira, E.M.; Perez, G.; Freire,C.A.T.; Freire,C.R.T.; Chaves,L.A.; & Luz, R.M. (2008). Gestão da inovação nos setores de biotecnologia e biomedicina: um estudo exploratório. In: Simpósio de Inovação Tecnológica, 25, 2008. Anais: Brasília, ANPAD.

Vila, N.; & Kuster, I. (2007). The importance of innovation in international textile firms. European Journal of Marketing,v. 41, n. 2, p. 17-36.

WCED- (World Commission on Environment and Development). (1987). Our common future. Oxford: University Press.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional