Strategy and Competitiveness in a Context of Internationalization: Building Construction Sector of Salvador, Bahia - Brazil

Luiz Fernando de Carvalho Reis, Augusto de Oliveira Monteiro

Abstract


This paper aims to analyze the recent and strong process of internationalization of the sector of real estate construction in the city of Salvador, Bahia. Thus, we describe the installation of international companies in the metropolitan region, evaluate their impact on industrial competitive forces and analyze the reaction of national companies as they face new challenges. In order to do so, field research was conducted, including a literature review, document analysis, and interviews with the controllers of national and international real estate construction companies. The results reveal a strong impact on competitive dimensions, as well as an increasing positive response from local companies illustrated through improvement of managerial practices and the gradual improvement of the relationship with clients.

Keywords


Construction; Internationalization; Strategy.

References


Andrews, K. R., & Christensen, C. R., J. L. (1973). Business policy : Text and cases / Kenneth R. Andrews; C. Roland Christensen; Joseph L. Bower. – 3. ed. – Illinois : RD,.

Ansoff, H. I. A. (1990). Nova Estratégia Empresarial; tradução Antonio Zorato Sanvicente. – São Paulo : Atlas.

Bradenburger, A., & Nalebuff, B. (1996). J.. Co-opetition. Adam Bradenburger e Barry J. Nalebuff. – New York : Doubleday,.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC; Instituto Euvaldo Lodi – IEL. (2005) O futuro da indústria da construção civil: construção habitacional. Coord. Abiko, A. K.; Gonçalves, O. M.; Cardoso, L. R.. Brasília: MDIC/STI: IEL/NC,.

Britto, B.M., & Farias Filho, J. R.. (2005). Estudo Preliminar do Nível de Competitividade na Indústria da Construção Civil – Sub-setor Edificações. Disponível em: . Acesso em: 16 jul..

Cassarotto, R. M. (2002). Redes de empresas na indústria da construção civil: definição de funções e atividades de cooperação. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,. Recuperado em 10 de dezembro, 2011, de: .

Costa Jr., M. P., & Silva, M. G. (2003, julhho). A influência do processo produtivo no controle de patologias e nos processos de manutenção. Revista Engenharia, Ciência e Tecnologia. Volume 6. no 4. Recuperado em 09 de dezembro, 2011 de

.

Ghemawat, P. (2006, agosto). Estratégias regionais para a liderança global. Harvard Business Review, v.84, n.8.

Ghisi, H. (2001). Adaptação estratégica em empresa de médio porte da indústria da construção civil, Dissertação, Pós graduação em Engenharia da Produção UFSC.

Giovannetti, A. (2001). Varejo competitivo, volume 6 / coordenação Claudio Felisoni de Ângelo, José Augusto Giesbrecht da Silveira. – São Paulo : Atlas.

Godet, M.. (2004). Manuel de Prospective Stratégique. Une Indiscipline intellectuelle. Paris: Dunod.

Greenwald, B., & Kahn, J. (2005). Toda estratégia é local. Revista Harvard Business Review, v.9, n.83, set.2005. Cambridge.

Hamel, G., & Prahalad, C. K. (2005). Intenção Estratégica. Revista Harvard Business Review, v.7, n.83, jul.2005. – Cambridge.

Lorange P., & Roos, J. (1995). Alianças Estratégicas: Formação, Implementação e Evolução. São Paulo: Atlas.

Low, J., & Kalafut, P. C. (2003). Vantagem Invisível. Como os Intangíveis Conduzem o Desempenho da Empresa. São Paulo: Bookman.

Markides, C. C. (2001). A Dynamic View of Strategy. In: Strategic Thinking for the Next Economy. Cusumano, M. A., & Markides, C. C.. Cambridge. Jossey-Bass/MIT Sloan.

Mintzberg, H, Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2000). Safári de estratégia - um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman.

Muñoz, R. (2001). O processo de inovação e difusão tecnológica na construção civil: O caso do Plano 100 em Salvador. Dissertação, Programa de pós-graduação da Escola de Administração da UFBa. Salvador.

Orssatto, C. H. (2002). A formulação das estratégias da empresa em um ambiente de aglomeração industrial. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Peters, T. J., & Waterman Jr., R. H. (1986). Vencendo a crise – como o bom senso empresarial pode superá-la. São Paulo: Harbra..

Pettigrew, A. M. (1989). A cultura das organizações é administrável? Cultura e poder nas organizações, Maria Tereza L. Fleury; Rosa M. Fischer (Coordenadoras). São Paulo: Atlas.

Porter, M. E. (1986). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Campus.

Porter, M. E. (1989). Vantagem Competitiva. 22 ed. Rio de Janeiro: Campus.

Porter, M. E. (1989a). A Vantagem Competitiva das Nações. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus.

Quintella, R. H., & Loiola, E. (1998). Diagnóstico Competitivo da Indústria da Construção Civil. Salvador: Sinduscon-Ba; FIEB-IEL; Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração – Governo da Bahia.

Rossetto, C. R.(1998). Adaptação estratégica organizacional: um estudo multi-caso na indústria da construção civil – setor de edificações. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina: Florianópolis.

Santos, E. (2001). Competitividade na indústria da construção civil na Bahia: o caso da Construtora Santa Helena. Monografia, Programa de Capacitação Avançada, Escola de Administração da UFBa.

Souza, R. (2002). Integração e cooperação da cadeia produtiva: uma estratégia para elevar a qualidade e a produtividade na construção. São Paulo: Pini.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756