Strategic Formulation Factors Before Isomorphism: Analysis of Local Production Arrangement of Knitwear of Imbituva

Carlos Cesar Garcia Freitas, Antônio João Hocayen-da-Silva, Andrea Paula Segatto

Abstract


This article aims to describe the isomorphic factors present in organizational interactions with the local production arrangement of knitwear of city Imbituva. These factors, according to the institutional perspective, which influence the formulation of strategic organizations. To conduct the study, a documentary research of descriptive and qualitative nature. The results lead to conclude that organizations are influenced by isomorphic coercive, mimetic and normative factors. It is still possible to infer that while the shares of APL promote development activities, on the other side ends up limiting the autonomous action of organizations because of the dependencies created in relation to access resources and knowledge, as well as in reducing costs in terms of economies of scale through the power of collectivity.

Keywords


Institutional Analysis; Coercive Isomorphism, Mimetic Isomorphism; Normative Isomorphism.

References


Aldrich, H. E. (1979). Organizations and environments. New Jersey: Prentice-Hall.

Ansoff, H. I. (1977). Estratégia empresarial. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

Barney, J. B. (1991). Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, New York, v. 17, n. 1, p. 99-120, jan.

Bensberg, D. A., & Pabis Filho, L. T. (2008). Arranjo Produtivo Local: um estudo de caso no setor têxtil de Imbituva. Trabalho de Conclusão de Curso. UNICENTRO.

Bressan, F. (2004). O método do estudo de caso. Administração On Line. São Paulo, jan./fev./mar. 2000. Disponível em: . Acesso em: 15, dez.

Camargos, M. A., & Dias, A. T. (2003). Estratégia, administração estratégica e estratégia corporativa: uma síntese teórica. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 27-39, jan./mar.

Cervo, A. L., & Bervian, P. A. (2002). Metodologia científica. São Paulo: Prentice-Hall.

Dias, C. M. M. (1991). Tendências evolutivas do turismo e da hotelaria. Turismo em Análise, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 79-99, nov.

Easterby-Smith, M., Thorpe, R., & Lowe, A. (1999). Pesquisa gerencial em administração. São Paulo: Pioneira.

FIPE, Federação das Indústrias do Estado do Paraná. (2009). Arranjo Produtivo Local. Disponível em: . Acesso em: 17 jun.

Fonseca, V. S., & Machado-Da-Silva, C. L. (2002). Conversação entre abordagens da estratégia em organizações: escolha estratégica, cognição e instituição. Organizações & Sociedade, v. 9, n. 25, p. 93-109, set./dez.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Gohr, C. F., Neto Moretto, L., & Santana, E. A. (2002). Estratégias competitivas: um estudo no setor hoteleiro de Itapema/SC. Turismo: Visão e Ação, São Paulo, v. 4, n. 10, p. 63-90, out. 2001/mar.

Hall, R. (2004). Organizações: estrutura, processos e resultados. São Paulo: Prentice Hall.

Hatch, M. J. (1997). Organization Theory: modern, symbolic and postmodern perspectives. New York: Oxford University Press.

Hax, A. C., & Majluf, N. S. (1991). The strategy concept and process: a pragmatic approach. New Jersey: Prentice-Hall.

IPARDES, Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. (2006). Arranjo Produtivo Local de Malhas do Município de Imbituva: estudo de caso. IPARDES.

Krippendorff, K. (1980). Content analysis: an introduction to its methodology. London: Sage Publications.

Laville, C., & Dionne, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda.; Belo Horizonte: Editora UFMG.

Machado-Da-Silva, C. L., & Barbosa, S. L. (2002). Estratégia, fatores de competitividade e contexto de referência das organizações: uma análise arquetípica. Revista de Administração Contemporânea, v. 6, n. 3, set./dez. p. 07-32.

Machado-Da-Silva, C. L., & Fonseca, V. S. Competitividade organizacional: conciliando padrões concorrenciais e padrões institucionais. In. Vieira, M. M. F.; Oliveira, L. M. B. (1999). Administração Contemporânea: perspectivas estratégicas. São Paulo: Atlas, p. 27-39.

Machado-Da-Silva, C. L., Fonseca, V. S., & Fernandes, B. H. R. Mudança e estratégia nas organizações: perspectivas cognitiva e institucional. In. Vieira, M. M. F., & Oliveira, L. M. B. (1999). Administração Contemporânea: perspectivas estratégicas. São Paulo: Atlas. p. 102-118.

Machado-Da-Silva, C. L., & Vizeu, F. (2007). Análise institucional de práticas formais de estratégia. Revista de Administração de Empresas, v. 47, p. 89-100.

Neuman, L. W. (1997). Social research methods: qualitative and quantitative approaches. Boston: Allyn & Bacon.

Pacheco, F. L. (2002). O Isomorfismo Institucional nos Teatros da Região Metropolitana do Recife. In. Encontro de Estudos Organizacionais, 2, 2002, Recife. Anais... Recife: Observatório da Realidade Organizacional: PROPAD/UFPE: ANPAD. 1 CD.

Paiva, M. G. M. V., Cavalcanti, K. B., & Souza, T. (1996). Hotelaria do nordeste: no espelho da globalização. Turismo em Análise, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 45-62, nov.

Porter, M. E. (1986). Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Campus.

Prestes, J. M., & Bulgacov, S. (1999). Sistemas e processos organizacionais. In: Bulgacov, S. (Org.). Manual de gestão empresarial. São Paulo: Atlas. Cap. 1, p. 17-46.

Saunders, M., Lewis, P., & Thornhill, A. (2000). Research methods for business students. Harlow, England: Pearson Education.

Scott, W. R., & Davis, G. (2007). Organizations and Organizing: Rational, Natural and Open Systems Perspectives. New Jersey: Prentice Hall.

Vergara, S. C. (2005). Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.

Volberda, H. W. (2004). Crise em estratégia: fragmentação, integração ou síntese. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 44, n. 4, p. 32-43, out./dez.

Wernerfelt, B. (1984). A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, Chichester, v. 5, n. 2, p. 171-180, apr./jun.

Wright, P., Kroll, M. J., & Parnell, J. (2000). Administração estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional