Cooperative Organizational Networks Strategy:A Study in the Tourism Center, Minas Gerais, Brazil
Http://Dx.Doi.Org/10.5585/Riae.V10i2.1756

Maximiliano Francisco Oliveira, Carlos Alberto Gonçalves

Abstract


The present work consists on the analysis of the relationship structure among the Inns located in “Serra do Cipó”, Minas Gerais, Brazil. It aims to describe how this structure determines the the cooperation and the relational learning. In order to develop the analysis, it was verified the existence, the intensity, the potentiality and the relation of the following constructs: actuation networks, cooperation, relational learning and network fragmentation. The data were collected by means of the application of a questionnaire and were treated with the software Ucinet 6.0. It had the support of the theory of analysis of social networks. It was also used techniques of analysis of statistical regression and techniques of descriptive statistics. The earlier results showed the presence of all the analyzed constructs, with a emphasis on actuation networks that reached the highest intensity, followed successively by the relational learning and network fragmentation. The cooperation was the construct that presented the lowest intensity, however, with highest cohesion. Based in the tests of the proposed hypothetical model, it can be verify the significance of positive relation among the constructs: actuation networks and cooperation, cooperation and relational learning. The relation among relational learning and network fragmentation also were significant but with a negative relation. From the conclusions, it was possible to confirm the initial premise of the performance in networking among enterprises studied, verify the presence of cooperation in the structure of relationships and verify the existence of relational learning.

Keywords


Cooperative Strategy; Organizational Networks; Relational Learning

References


Amato Neto, J. (2000). Redes de cooperação produtiva e clusters regionais: oportunidades para as pequenas e médias empresas. São Paulo: Atlas.

Andrade, M. A. R. & Hoffmann, V. E. (2009). Redes interorganizacionais: um estudo das pequenas e médias empresas no setor calçadista do Vale do Rio Tijucas. In XXXIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, São Paulo: ANPAD.

Andrighi, F. F. & Hoffmamm, V. E. (2008, jul.). Aglomeração Territorial no Turismo: uma avaliação dos atores sociais na destinação turística de Urubici/SC. Cultur: Revista de Cultura e Turismo, Santa Cruz, 2.

Balestrin, A. (2005). A dinâmica da complementaridade de conhecimentos no contexto das redes interorganizacionais. 2005. 214 f. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Balestrin, A. & Fayard, P. (2003). Redes interorganizacionais como espaço de criação de conhecimento. In XXVII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Atibaia: ANPAD.

Balestrin, A. & Vargas, L. M. (2004). A Dimensão estratégica das redes horizontais de PMEs: teorizações e evidências. Revista de Administração Contemporânea. v. 8, p. 203-227.

Barringer, B. R. & Harrison, J. S. (2000). Walking a tightrope: creating value through interorganizational relationships. Journal of Management. 26(3), p. 367-403.

Beni, M. C. (1998). Análise Estrutural do Turismo. 2 ed. São Paulo: Senac.

Borgatti, S. P., Everett, M. G & Freeman, L. C. (2002). UCINET 6 for Windows: Version 6.199. Natick: Analytic Technologies.

Brasil. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2008). Economia do Turismo: Uma perspectiva macroeconômica 2000-2005. Acesso em 30 de abril, 2009, em .

Cândido, G. A. & Abreu, A. F. (2000). Os conceitos de redes e as relações interorganizacionais: um estudo exploratório. In EnANPAD, 24. Florianópolis. Anais, Florianópolis: ANPAD.

Casarotto Filho, N. & Pires, L. H. (2001). Redes de pequenas e médias empresas e desenvolvimento local: estratégias para a conquista da competitividade global com base na experiência italiana. 2 ed. São Paulo: Atlas.

Carstens, D. D. S. & Machado-da-Silva, C. (2006). Estratégia e estrutura de relacionamento na rede de empresas Alpha. In XXX Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Salvador: ANPAD.

Castells, M. (1999). A sociedade em rede. 2 ed. São Paulo: Paz e Terra,. (A era da informação: economia, sociedade e cultura; 1).

Descubra Minas (Minas Gerais). Senac - MG. (2009). Acesso em 4 de maio, 2009, em .

Ewi - Eplerwood International (Brasil). Instituto Estrada Real. (2007). Diagnóstico Turismo de Natureza: Destino Serra do Cipó Estrada Real. Minas Gerais. Brasil. Disponível. Belo Horizonte,. 142 p. Acesso em 1 de maio, 2009, em .

Ferreira Júnior, I. (2006). Redes De Pequenas Empresas: A aplicação de uma tipologia em uma rede de supermercados. In XXX Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Salvador: ANPAD.

Fleury, A. C. C. & Fleury, M. T. L. (1997). Aprendizagem e Inovação Organizacional: as experiências de Japão, Coreia e Brasil. 2 ed. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, C. A, Gonçalves Filho, C. & Reis Neto, M. T. (2006). Estratégia empresarial: o desafio das organizações. São Paulo: Saraiva.

Gonçalves, C. A & Meirelles, A. M. (2004). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1.

Hitt, M. A, Ireland, R. D. & Hoskisson, R. E. (2008). Administração estratégica. 2 ed. São Paulo: Cengage.

Hoffmann, V. E, Bandeira-de-Melo, R & Molina-Morales, F. X. (2006). Inovação e transferência de conhecimento em redes inter-organizacionais aglomeradas territorialmente: uma análise a partir de equações estruturais em duas indústrias. In XXX Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Salvador: ANPAD.

Hoffmann, V. E, Molina-morales, F. X & Martínez-Fernadez, M. (2004). T. Redes de empresas: Uma tipologia para sua classificação. In XXVIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Curitiba: ANPAD.

Jarillo, J. C. (1988, jan-feb.). On strategic networks. Strategic Management Journal, p. 31-41.

Lastres, H. M. M. & Cassiolato, J. E. (2005). Mobilizando conhecimentos para desenvolver arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas no Brasil. Rede de pesquisa em sistemas produtivos e inovativos locais. Acesso em 23 de setembro, 2009, em .

Lazzarini, S. G. (2008). Empresas em Rede. São Paulo: Cengage Learning.

Malhotra, N. K. (2001). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 3. ed. Porto Alegre: Bookman.

Marshall, A. (1925). Principles of Economics. 8.ed. London: Macmillan.

Matheus, R. F & Silva, A. B. O. E. (2006). Análise de redes sociais como método para a Ciência da Informação. Datagramazero: Revista da Ciência da Informação, Rio de janeiro, 7(2).

Molina-Morales, F. X. & Hoffmann, V. E. (2002, jul.). Aprendizagem através de Redes Sociais: o efeito da proximidade geográfica. Revista Inteligência Empresarial, Rio de Janeiro, 12, p. 4-11.

Nonaka, I. & Takeuchi, H. (1997). Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus.

Peci, A. (1999). Emergência e proliferação de redes organizacionais – Marcando mudanças no mundo de negócios. In XXIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Foz do Iguaçu: ANPAD.

Petrocchi, M. (2002). Gestão de Pólos Turísticos. São Paulo: Futura.

Porter, M. E. (1998, nov-dec). Clusters and the new economics competition. Havard Business Review, p. 77-90.

Ribaut, M., Martinet, B. & Lebidois, D. (1995). A gestão das tecnologias. Coleção gestão & inovação. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Sebrae. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. (2009). Acesso em 22 de novembro, 2009, em .

Silva Junior, A. B. (2007). A empresa em rede: desenvolvendo competências organizacionais. Rio de Janeiro: Elsevier.

Tondolo, V. A. G & Schneider, L. C. (2004). Vantagens Logísticas na Cadeia de Valor na Rede de Empresas: O Caso de uma Rede Gaúcha de Pequenas Farmácias. In XXVIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Curitiba: ANPAD.

Vale, G. M. V. (2007). Territórios vitoriosos: o papel das redes organizacionais. Rio de Janeiro: Garamond.

Verschoore, J. R. (2003, out). O programa redes de cooperação: uma análise dos instrumentos de administração pública para o desenvolvimento sócio-econômico. VIII Congresso Internacional del CLAD sobre la Reforma del Estado y de la Administración Pública, Panamá. Acesso em 21 de setembro, 2009, em < http://www.unpan.org>.

Verschoore, J. R. (2004). Redes de cooperação: uma nova organização de pequenas e médias empresas no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: FEE.

Verschoore, J. R & Balestrin, A. (2006). Fatores competitivos das empresas em redes de cooperação. In: XXX Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Anais, Salvador: ANPAD.

Wasserman, Stanley & Faust, Katherine (1999). Social network analysis: methods and applications. Cambridge: Cambridge University Press.


Full Text: PDF (Português (Brasil))

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Iberoamerican Journal of Strategic Management  e-ISSN: 2176-0756

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional